segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Idéia: no rosto

Meu marido Ludwig já tirara devagar a calça jeans, a sunga vinho e todo o resto e seus dezoito centímetros apontavam para mim. Não gosto de ficar completamente nuíssima – gosto de manter um brinco, até um lenço – mas eu estava. A tora de Tiago tinha tamanho médio, uns 15, por aí. Eu nadava por sobre o corpo do rapaz. Foi o amante que Ludwig arranjou para mim neste maio. Era para ser em março mas o rapaz relutou por dois meses enquanto Ludwig tentava convencê-lo que era isso mesmo, ele iria transar com uma mulher casada, com o marido de platéia.
.
Até aí, nada de anormal. Motel medieval (nome boboca!), mulher, marido e amante, transa a três, ou a dois com um vendo. Mas importante, pois deixei preconceito de lado. Senti as contrações no talo de Tiago, quase todo cravado na fenda. Empurrei-o, arranquei a camisinha e dei a louca, aproximei meu rosto. O menino fez ooouuu de bezerrinho enquanto seu doce cano me acariciava a bochecha com jato após jato cálido, como carícia.
.
Desde os tempos de garota que não deixava ninguém gozar em meu rosto. Adorei! E Ludwig também.
.
Beijos e beijos, Bia
.

2 comentários:

  1. Nossa que delicia! Nao tem como nao adorar uma brincadeira dessas.
    bjs

    ResponderExcluir

Seus comentários! Beijos, Beatriz.